Ocorre um estorno quando um titular de um cartão contacta com o seu banco para iniciar um estorno de um pagamento realizado no seu cartão.  O estorno não é consagrado na lei europeia mas faz parte do Artigo 75 da Lei de Crédito ao Consumo a qual é subscrita pela rede bancária global interveniente.

Os estornos surgem devido a variadas razões mas geralmente são a consequência de uma mudança de decisão por parte do titular do cartão, porque não está satisfeito com a sua compra, devido a um problema com o produto ou a uma potencial fraude.

Seguidamente damos algumas sugestões que pode seguir de modo a minimizar as possibilidades de um estorno ao viajante e de modo a ajudar a que possa gerir as suas reservas de uma forma mais eficiente.
  • Utilize um contrato de arrendamento. Apesar de seguirmos as normas para a indústria na recolha de assinaturas eletrónicas, a forma mais eficaz de documentação quando na contestação de um estorno é a assinatura manuscrita num contrato.
  • Deve fornecer uma descrição exata da propriedade.
  • Para reservas nas quais existe um curto período de tempo entre a reserva e a chegada, deve contactar o viajante.
  • Tente e aborde imediatamente quaisquer preocupações do hóspede antes que se transformem num conflito.
  • Envie um e-mail de confirmação aos seus viajantes que inclua a sua política de cancelamento em relação a cada reserva.
  • Solicite os números de telefone e contacte-os para confirmar o nome da pessoa mencionado no cartão bancário utilizado para pagar a reserva.
  • Emita um reembolso utilizando o mesmo método do pagamento da transação original.
Para uma orientação útil acerca de indicadores suspeitos, deve visitar o nosso Centro de Segurança.

No caso de ter algumas questões acerca do estorno, deve contactar diretamente o nosso prestador de serviços de pagamentos.